Dicas Úteis

UMA ABORDAGEM PRAGMÁTICA

A única maneira segura de começar a prática sem perder tempo é ter uma abordagem pragmática e racional com a natureza e as possibilidades do fenômeno FASE.

A maioria das informações disponíveis sobre os fenômenos dissociativos, são imprecisas. Isso se torna óbvio durante as entradas iniciais na FASE. Somente as experiências pessoais devem ser levadas a sério, não as experiências de conhecidos, de autores, de professores, de blogs ou fóruns.

Errar é humano, portanto, é também humano repassar os erros. Como resultado, muitos contos da carochinha paradoxais, sobre o fenômeno FASE, tornaram-se aceitos a priori.

Nem tudo escrito na literatura esotérica deve ser jogado fora. Algumas coisas podem, eventualmente, ser retiradas. Depois de ler tal literatura, o praticante não deve presumir que o novo conhecimento seja uma verdade universal.

Para uma casa manter-se firme, ela precisa de uma base sólida. A única maneira de construir uma boa fundação para a prática da FASE é a abordagem do fenômeno de uma forma realista, a partir de uma perspectiva científica, descontando qualquer fenômeno supostamente sobrenatural. Uma vez que uma base sólida tenha sido estabelecida, todo mundo tem o direito de construir sua própria verdade à partir dela.

ANÁLISE INDEPENDENTE

Se o praticante só está interessado em ter experiências de FASE, então a simples leitura deste guia e outros materiais, podem ser suficientes. No entanto, se um praticante quer alcançar os melhores resultados, deve dar um foco mais amplo ao pensamento individual e à formação da opinião com base na análise pessoal.

Até que todas as perguntas sejam respondidas, através de uma busca por respostas em várias fontes de informação, nenhum progresso real deve ser esperado. Muitas coisas não podem ser descritas ou explicadas. A resolução de muitas questões sempre permanecerão, até o julgamento individual e a compreensão. Encontrar todas as respostas, é impossível.

Os conselhos e as experiências dos outros, pode levar a erros. Uma abordagem lógica, e até mesmo cética, deve ser mantida durante a pesquisa e a prática. O objetivo deste guia é fornecer ao leitor informações lineares e factuais, suficientes para o desenvolvimento de uma análise independente.

Toda vez que o praticante encontrar algum fenômeno incompreensível ou algum problema ao executar as técnicas da FASE, deve fazer uma análise independente do fenômeno, antes de procurar uma explicação em outro lugar. Se um candidato procura por respostas fora do raciocínio pessoal, há um alto risco de assimilar e agir baseado numa falácia.

ABORDAGEM DA LITERATURA

Literatura de todo tipo tem sido sempre o principal veículo para a divulgação de informações sobre o estado de FASE. O fenômeno FASE é referido por outros termos: projeção astral, viagem para fora do corpo ou sonho lúcido. Além de divulgação de informações úteis, muitos livros são, freqüentemente, veículos de divulgação de falácias.

Isso é fácil de reconhecer quando se pesquisa vários livros e se compara os eventos e teorias descritos. A informação é, freqüentemente, contraditória e baseada em opiniões que nunca foram verificadas por qualquer pessoa, incluindo os autores. O resultado é uma massiva especulação, que não tem qualquer concordância com a realidade, quase sempre acompanhada por uma falsa certeza sobre o assunto. No entanto, ao contrário do mundo real, a FASE não é um lugar onde se pode acreditar no que os olhos vêem ou nos sentimentos. A aparência e as qualidades das FASES dependem muito da pessoa que está experimentando.

Por exemplo: se o praticante acredita que, ao entrar na FASE, o corpo estará próximo da cama, então ele sempre estará lá. Se o praticante acredita que o corpo percebido deve estar sempre preso ao corpo físico, então o praticante terá sempre que ver e até sentir uma corda (cordão de prata) na FASE. Este é um caso simples em que as expectativas se tornam realidade. Da mesma forma, alguém que entra na FASE acidentalmente e pensa que a hora da morte tenha chegado, pode ver anjos e um túnel com uma luz no final. Se o praticante for extremamente religioso, pode haver uma percepção de algo sagrado, até mesmo o aparecimento de Deus. Se a entrada para a FASE é interpretada como resultado de ser abduzido por alienígenas, então isso é exatamente o que vai acontecer.

Muitas vezes, é difícil para um novato separar a verdade da ilusão, razão pela qual, uma abordagem cética para o conteúdo de qualquer livro, se justifica. A única verdade transmitida em qualquer livro é a que foi verificada pela experiência pessoal. O resto deve simplesmente ser anotado e, possivelmente, levado em consideração.

Os livros devem ser estudados para se descobrir informações relacionadas às técnicas que permitam o praticante entrar na FASE e controlar a experiência. Este é o único ponto de intersecção entre todas as crenças e teorias.

O LOCAL DA PRÁTICA

Como as técnicas utilizadas para entrar na FASE estão associadas a um tipo específico de operação mental, é necessário criar condições confortáveis para que as distrações externas sejam reduzidas ao mínimo. O quarto deve ser, nem muito frio, nem muito quente, nem muito iluminado. Executar técnicas em uma temperatura confortável, em uma sala escura ou usando uma máscara de dormir são formas de promover a prática sem impedimentos.

A interferência de ruídos causam as maiores distrações, sendo necessário um isolamento para que possa ter uma prática bem sucedida. Muitas vezes, já é o suficiente desligar o telefone e fechar as portas e janelas. Se isso não ajudar, ou se o ruído do lado de fora da janela for extremamente alto, pode-se usar protetores de ouvido.

Também é útil dar um aviso prévio às pessoas, para que elas não incomodem o praticante. Também é preferível que ninguém esteja na cama junto com o praticante. Na maioria das vezes, os animais domésticos podem interferir com o desempenho das técnicas, razão pela qual eles devem ser alimentados com antecedência e mantidos fora do quarto onde as técnicas diretas ou indiretas serão praticadas.

FALAR COM PESSOAS QUE PENSAM COMO VOCÊ

Obtém-se grande benefício quando se tem a oportunidade de discutir as experiências pessoais com outros praticantes. Isso leva a um intercâmbio de informações, novos conhecimentos, e ajuda mútua relativa a certos problemas e questões.

O maior efeito é obtido quando a comunicação é feita pessoa a pessoa, e não apenas através de e-mail, fóruns e blogs. O encontro cara a cara com pessoas que pensam de forma semelhante, promove a camaradagem e a construção de uma base de conhecimento útil, e que devem ser lavados em consideração durante a prática individual.

Devido ao fato de que o conhecimento do fenômeno não é ainda muito conhecido, podem surgir dificuldades em encontrar alguém para conversar. Isso pode ser resolvido através da troca de experiências pessoais de FASE com amigos e familiares, independentemente de também serem praticantes. O praticante pode repassar a seus amigos e familiares uma literatura de treinamento, como por exemplo, este guia.

O site www.obe4u.com tem um fórum de discussão dedicado à FASE, tornando-se possível obter e trocar uma grande quantidade de informações. O site também tem as informações para o contato com os coordenadores dos clubes de praticantes de FASE em todo o mundo, que é uma associação de entusiastas sem fins comerciais, que se reúnem para discutir e trocar experiências.

O JEITO CERTO PARA SE ESCREVER UM DIÁRIO

Escrever um diário pode ser de muita ajuda, enquanto se está aprendendo e praticando a FASE. Quando devidamente mantido, um diário pode ajudar o praticante a desenvolver uma análise que irá aumentar a qualidade de suas experiências de FASE. Em geral, manter um diário ajuda a fortalecer uma prática esporádica, transformando-a numa disciplina estruturada que pode ser dominada.

Um diário eficaz deve conter uma enorme quantidade de indicadores, que permitam um estudo estatístico e a descoberta de padrões. É essencial que cada registro inclua data, hora, e um relato detalhado das entradas e das experiências na FASE. As descrições dos erros cometidos e um plano de ação para a próxima FASE, também devem ser registrados. Durante os estágios iniciais, é benéfico registrar até mesmo as tentativas de entrada na FASE em que o sucesso não foi alcançado. Mais tarde, apenas as experiências de FASES bem-sucedidas devem ser registradas.

Aqui está um exemplo de um registro correto no diário:

Dados:

Experiência número 12

5 de janeiro de 2008

02:33 pm

Experiência:

Acordei de manhã cedo. Após o exercício, tomei um banho e, em seguida, tomei o café da manhã. Eu assisti televisão e li livros até o almoço.

Eu me deitei para tirar um cochilo as 01:00 pm, logo depois do almoço. Senti vontade de executar as técnicas indiretas, e afirmei esta intenção. Acordei pela primeira vez e me movimentei, mas depois de tentar empregar a técnica do adormecimento forçado (para tentar anular os efeitos do movimento), adormeci. Acordei pela segunda vez, sem movimento, e tentei rolar para fora da cama. Isto não funcionou e eu tentei levitar e, em seguida, levantar-me. Depois disso, executei a técnica do movimento fantasma. O movimento ocorreu na minha mão direita. Depois de fazer isso por alguns segundos, eu decidi tentar a técnica da audição interna. Os sons começaram, mas eu fui incapaz de torná-los mais alto. No entanto, imagens apareceram diante dos meus olhos e comecei a observá-las. Depois das imagens terem se tornado realistas, eu decidi tentar a técnica do rolamento e ela funcionou sem problemas.

Minha visão estava turva, como se eu estivesse vendo através de um véu. Mas então, o resto das sensações foram vivenciadas com se o limiar da realidade tivesse sido alcançado. Nesse momento fui para a janela. Por alguma razão, lá fora era verão, e não inverno. Havia um caminhão vermelho do corpo de bombeiros do lado de fora da janela. Havia nuvens muito baixas no céu. O sol estava acima delas.

Em seguida, tudo desapareceu rapidamente e eu retornei ao meu corpo. Então, levantei-me e olhei para o relógio. Era 2:15 pm.

Erros:

1) Quando a técnica do movimento fantasma funcionou, eu deveria ter tentado, de forma agressiva, aumentar a amplitude do movimento, e não simplesmente dar continuidade ao mesmo movimento, e, muito menos, deveria ter mudado para outra técnica. Afinal, quando ocorre o movimento fantasma, é sempre possível a entrada na FASE.

2) O mesmo com os sons. Eu não tive grande desejo em amplificar os sons ou até mesmo ouvi-los. Tudo foi feito de forma muito apática.

3) Eu deveria ter começado com o aprofundamento e não com ações, quando as sensações visuais não mais estavam claras.

4) Eu deveria ter empregado técnicas de manutenção.

5) Não se pode olhar para baixo por muito tempo sem, simultaneamente, utilizar técnicas de manutenção, mas eu olhei para fora da janela e para o céu.

6) Eu esqueci do plano de ação.

7) Eu deveria ter tentado entrar na FASE novamente.

Plano de ação para a próxima vez:

1) Definitivamente, aprofundar a FASE o máximo possível.

2) Eu devo tentar atravessar uma parede.

3) Deslocar até a casa de minha tia em Nova York.

4) Deslocar até a Estátua da Liberdade e examinar sua coroa.

5) Tentar conduzir o experimento de colocar minha mão na minha cabeça.